domingo, 2 de outubro de 2011

Resultado das escolas de ensino médio no Enem 2011

Foi publicado no Jornal O Dia na segunda-feira dia 12/09/2011 o resultado das escolas de ensino médio do Rio de Janeiro no ENEM.
Confirmando o que nós educadores e pais sempre soubemos: entre as escolas privadas as melhores são os "Santos" que são as mais caras e entre as públicas as melhores são as Federais. Essas escolas continuam primando pelo conteúdo, com cobranças em alto nível aos alunos, o que os forçam a estudar, a criar hábitos de estudos diários, a pesquisar, a fazer trabalhos interdisciplinares e tudo mais que os levam a aprender efetivamente. Já as escolas municipais e estaduais primam pelo conteúdo mínimo, pela "contextualização" (Como contextualizar algo que o aluno não sabe conceituar e nem manipular?) e pela cobrança mínima. Dando o mínimo e exigindo o mínimo dos alunos o resultado não poderia ser diferente do que foi constatado. Conheço essa diferença de perto, pois sou professora da rede municipal, da Faetec e mãe de aluna do Colégio Militar do Rio de Janeiro, tenho uma ex-aluna bolsista no Santo Inácio e vários alunos no Pedro II. É exatamente por conhecer esta realidade que ajudo os bons alunos a conquistarem uma vaga nessas escolas.
O que me angustia muito é que os alunos levam os três anos do ensino médio sem se conscientizarem  de que o que estão estudando é muito pouco, não se esforçam e quando vão para uma competição (vestibular, estágios, emprego, etc), descobrem que não sabem nada e que não estão preparados.
Os jovens gostam de se distrair, de gastar tempo com tudo, menos estudando; não são autônomos em relação a aprendizagem e muito menos pensam em serem empreendedores pessoais (em investirem neles mesmos), ao contrário, desperdiçam o potencial da juventude e, se não forem motivados, incentivados, orientados ou cobrados a situação fica complicada, como estamos vendo.
O vergonhoso é que as matrizes de referência do ENEM são:
Matriz de Referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Matriz de Referência de Matemática e suas Tecnologias
Matriz de Referência de Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Matriz de Referência de Ciências Humanas e suas Tecnologias
Não parece absurdo gastar milhões de reais dos nossos impostos para avaliar o ensino destas tais tecnologias quando não se tem isso para ensinar. Quando as escolas estaduais estão caindo aos pedaços, com professores mal remunerados e com salas lotadas. Algumas já modernizaram, passaram da tecnologia lousa verde para a tecnologia lousa branca, mas se o professor quiser escrever tem que comprar as canetas e a tinta para recarregar, estão economizando no giz (se não fosse trágico seria cômico).
Se o governo usasse esses milhões dos nossos impostos para equipar as escolas com tecnologias, com esportes, artes, música para os alunos; melhores condições salarias e de trabalho para os professores estaríamos caminhando para uma melhor qualidade no ensino público.





4 comentários:

claudia disse...

Oi meu nome é Claudia ,sou mãe de uma manina de 15 anos que esta no últino ano do fundamental , e estamos precisando muito de uma orientação .Eu só possuo e-mail.

Kátia Machinez disse...

Pode enviar mensagem para o meu email.
katiamcunha@gmail.com
Um abraço,

Anônimo disse...

Infelizmente as melhores escolas públicas-AS FEDERAIS E AS MILITARES- SÃO somente para os ricos, os pobres não estudam lá! O processo seletivo é para os excluir! É como se os pobres não fossem inteligentes e capais! Quero vê um político botar seu filho na escola municipal ou estadual!!! rsrsrs...

Kátia Machinez disse...

Infelizmente está certo, por isso desenvolvo este projeto e tenho conseguido ajudar a vários alunos da escola pública onde trabalho a entrar para essas escolas.
Eles têm mostrado que com esforço e dedicação eles são capazes de competir e superar alunos de cursinhos e escolas particulares.
Este ano, por exemplo, meus alunos tiveram notas em matemática no concurso do Pedro II de Realengo maior do que as notas da filha de uma professora que estuda desde criança em uma escola de Elite.
Comparo os menos favorecidos como os peixinhos da piracema (tudo é contra), eles precisam ser mais fortes e ousados do que os outros se quiserem subir na vida. Precisam ter a consciência de que tudo será mais difícil, não terão moleza e por isso, precisam se esforçar e se dedicar aos estudos muito mais. E eles conseguem, se superam.
Fico muito feliz em vê-los estudando em escolas de qualidade comprovada por mérito próprio, lutaram e venceram, esse é o combustível que me impulsiona a continuar com esse projeto.

Um abraço,